23 janeiro 2014

A Menina que Roubava Livros - Markus Zusak

A Menina que Roubava Livros
Autor : Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Número de páginas : 478

Sou suspeita para falar do Markus Zusak, mas não poderia deixar de ressaltar que a escrita dele é tocante e poética. Mais uma vez ele conseguiu me cativar no desenvolvimento das personagens e na construção da história.
A Menina que Roubava Livros poderia ser classificado como mais uma livro que se passa no período da Segunda Guerra Mundial na Alemanha Nazista. Mas não é bem assim. A obra tem dois pontos que a difere das outras que li sobre este tema. 1º. Estamos acostumados a ler histórias nas quais vemos o encarar dos fatos, o ponto de vista de judeus ou nazistas.Mas nesse livro, iremos não só ver, mas acompanhar, descobrir e até viver a realidade de pessoas que se encontram no meio desse caos.Iremos acompanhar a rotina de cidadãos alemães comuns, pobres e como eles lidam com toda essa "novidade". 2º. A narradora desse livro é a morte. Quando comecei a leitura, fiquei um pouco receosa quanto a este ponto. Me surpreendi muito, porque a morte não trata os acontecimentos friamente. Pelo contrário, ela até mostra compaixão, mas sem perder a imagem que ela tem de morte. Ela também faz muitos questionamentos relevantes sobre a natureza humana, conversa com o leitor e, sem perceber, você já faz parte da história.

Viu? Até a morte tem coração. pág. 218
Mas, qual é o enredo do livro?
Iremos acompanhar quatro anos da vida de Liesel Meminger, uma garotinha alemã de nove anos. Nesses quatro anos, a narradora encontra-se com a Liesel três vezes e esta sobrevive as três. No começo do livro data-se o primeiro encontro das duas. Liesel está num trem com sua mãe e seu irmãozinho a caminho da casa de sua família adotiva. A primeira perda da garota acontece nessa viagem. Isso não é spoiler porque é bem no início e consta na sinopse. Seu irmãozinho morre e ela é entregue à nova família, o sr. e sra. Hubermann que moram na rua Himmel, um lugar muito pobre.
Após a sua adaptação ao local, a menina se apega muito ao novo papai e a amizade deles é muito bonita. Já a mamãe é muito engraçada pelo seu gênio forte e por xingar o tempo todo.
Na rua Himmel, a Liesel faz alguns amigos e o que se destaca por ser o seu melhor amigo é o Rudy.Que menino fofo! Ele é um dos meus personagens preferidos.Dei muitas gargalhadas com as brincadeiras e travessuras dos dois, que não são poucas.
Liesel descobre o amor pelos livros, e daí entendemos o porque do título, pois a menina começa a ter uma "vida criminosa", podemos assim dizer.
Embaixo da blusa, um livro a estava devorando. pág. 112
As partes mais emocionantes são entre a Liesel e o Max, seu mais novo amigo. Mas o detalhe principal é que ele é judeu.Numa rua alemã, habitada por pessoas com ideais nazistas, a família Hubermann esconde um judeu no porão por causa de uma promessa que o pai, Hans fez quando estava na Primeira Guerra. A relação entre a menina alemã e o judeu é de fazer qualquer um chorar. As palavras, os gestos são tão singelos, mas a mensagem, a amizade é tão forte e presente que não há como não cativar o leitor. Preciso conhecer o Zusak, urgentemente.
A vida não é só flores, principalmente durante a Grande Guerra na Alemanha Nazista. Não é simples esconder um judeu! Aquilo era totalmente perigoso!

Nessa história iremos descobrir junto com a Liesel os sentimentos e frustrações. Também veremos como essas pessoas de uma simples rua alemã irão receber a Guerra e suas consequências, porque tudo é novo e confuso para elas, já que estão vivendo aquilo.
Preparem os lencinhos, porque as lágrimas são inevitáveis.
Espero que apreciem da leitura como eu, que sintam cada palavra singela mas cheia de emoção que o Zusak usou para construir essa história doce, simples, mas ao mesmo tempo incrível e emocionante.
Beijos e até a próxima!             

Trailer do filme:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...